Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

V O G U E a n d L O V E

Um diário virtual (utilizado quase de mês a mês) que possui os desejos, partilha tendências e descreve peripécias de o dia-a-dia de uma rapariga normal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Catarina (22)
Um diário virtual utilizado de mês a mês que possui os desejos, partilha tendências e descreve peripécias de o dia-a-dia de uma rapariga normal.{mais}

mais mais mais

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Follow

Questões existenciais sobre cotonetes

Sim, leram bem. Vou falar-vos de cotonetes e de um péssimo hábito que tenho... Atirá-los pela sanita abaixo. Tenho mil trabalhos da faculdade em atraso, mas esta questão dos cotonetes... Deixa-me verdadeiramente preocupada. Eu sei que parece que estou a ser irónica, mas não estou! Quer dizer... Só um bocadinho. 

 

A questão aqui é que o peixe que me vem parar a prato, às vezes, depara-se com os meus cotonetes... e não só. Às vezes também se depara com a quantidade de palhinhas ridículas que consumo. Sabem quantas palhinhas são gastas por dia nos EUA? 500... Milhões. E repito, por dia. Na verdade, daqui a uns anos (não muitos), o plástico vai ocupar mais espaço no mar, do que as espécies que o habitam. E falo-vos disto sem ter visto o documentário "A plastic ocean", disponínel na Netflix. Apesar disso, aconselho a todos (e a mim, inclusivamente) a ver este documentário, para que nos possamos consciencializar para o tipo de poluição e desperdício que estamos a causar. 

 

Via Pinterest

E o papel para secar as mãos? O papel toalha. É outra questão que me assola. No meu local de estágio devo gastar em média 15 papéis por dia. Ultimamente, tenho lutado comigo mesma para que isto mude. Cada vez que lavo as mãos digo para mim mesma "só um papel" e lá vou eu tentar secar as mãos só com aquele rectângulozinho mísero. Na verdade... É O QUE CHEGA! E depois meto-me a pensar "deve ter havido uma alma que estudou isto e fez inúmeras tentativas para saber que este rectângulo chega". Depois de uma pequena pesquisa, descobri que existe um Tedx Talks só sobre isto. Isto leva-me a pensar que se calhar não sou assim tão doida por ter estas questões a pairarem-me na cabeça. 

 

Desde que sigo a Joana Limão, tenho ficado muito mais desperta para estas questões do zero-waste, de uma vida mais sustentável e da quantidade de opções que existem para combatermos o desperdício e a nossa pegada ecológica. Para além disto, recentemente comecei a ouvir o podcast da Claúdia Fonseca (o "Officina") e na passada sexta ouvi o episódio da Ana Go Slowly e tenho a certeza que isto causou algum impacto em mim. 

 

Queria só partilhar que há soluções para estas questões existenciais da minha cabeça! Uma das lojas que conheci recentemente é a Sapato Verde, uma loja com produtos ecológicos, sustentáveis, vegan... Amigos do ambiente no geral. Para a questão dos cotonetes, existem os cotonetes em bambu, 100% biodegradáveis. Um pouco mais caros do que os que estamos habituados, mas contribuem para um oceano com menos plástico. A solução aqui também passa por colocar os cotonetes diretamente no lixo e isso também já comecei a fazer. A questão das palhinhas também é facilmente resolvida. Desde bambu, a inox, a vidro... Não faltam opções.

Reflito sobre isto por pensar que, quando era pequena era bem mais disciplinada quanto às questões da poluição. E atualmente, com o meus trabalho, vejo que sou um exemplo. Cabe-me a mim decidir se quero ser um bom ou um mau exemplo. Dou por mim a assistir várias vezes ao longo do dia, ao meu comportamento a ser imitado pelas crianças. E para isto tenho de me consciencializar do que posso mudar. 

 

Termino esta publicação com uma frase que prego aos grupos que acompanho no verão, cada vez que fazemos algum tipo de atividade num espaço ao ar livre: Deixem o espaço melhor do que o encontraram. Descobri agora que digo isto à semelhança de Baden-Powell e nunca fui escuteira. 

Procurai deixar o mundo um pouco melhor de que o encontrastes”.

 

P.S. Acho que depois deste post tenho mesmo de mudar o nome do blog! 

XX, Cat 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Catarina (22)
Um diário virtual utilizado de mês a mês que possui os desejos, partilha tendências e descreve peripécias de o dia-a-dia de uma rapariga normal.{mais}

mais mais mais

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Follow